A escolha da barraca é bastante relativa, você pode ser aquelas pessoas que gostam de acampar no meio do mato sem nenhuma estrutura, ou como eu, que prefere acampar em campings com área gramada ou areia. É diferente também se você costuma acampar vários dias em um só lugar ou fica constantemente mudando, se é sozinho, casal ou família. Uma coisa que não muda é a necessidade de a barraca não entrar água!

Se pretende fazer um mochilão o ideal é barraca pequena, fácil de carregar. Agora se tem uma família e vai viajar alguns dias o melhor é ter uma estrutura bacana que comporte todos e de maneira confortável. Costumamos dizer que independente do tamanho da barraca ela é feita pra 2 pessoas, exceção de filhos.

No meu caso somos em 2 as vezes 3 (com a Breja) e gosto de conforto então temos a barraca Quechua arpenaz family 4.1 e o gazebo Quechua Fresh. Os dois juntos fica top porque o gazebo fica montado a cozinha, super legal.

 

Sempre quando vemos uma barraca a primeira coisa a ser notado é se a cobertura vai até o chão, isso pra mim é o principal para que não entre água na barraca. Outro detalhe é notar se ela é bem ventilada, aberturas e se o teto não fica colado no tecido de baixo.

Resistência Muitas barracas são classificadas por um “fator de resistência relativa”, a velocidade do vento que a barraca permanece de pé antes que a armação deforme. Se você espera ir de encontro ao vento e neve, esta é uma importante consideração. A barraca deve ficar de pé com ventos fortes e cargas de neve sem falhas estruturais.

Forma – A tendência nas formas de barracas têm sido o túnel e iglu. Estes modelos aproveitam ao máximo o espaço disponível e minimizam o número de estacas e extensores.

Evite comprar barracas igual a imagem abaixo, nunca vi acampadas felizes com elas, Se ameaçar a chover, já entra água! rsrsrs

simples

Boa Acampada!